20 de out de 2015

Quem é o Anacoreta?

Trata-se de um termo latim anachoreta, do grego anachoreo: eu me retiro, composto do prefixo ana: para trás, para dentro, e choreo: eu vou. Anacoreta é o solitário, emitirão, que vive  afastado das relações sociais e que se entregou à virtude e à penitência.

Exemplos de uso: 
... E surgia na Bahia o anacoreta sombrio, cabelos crescidos até aos ombros, barba inculta e longa; face escaveirada; olhar fulgurante; monstruoso, dentro de um hábito azul de brim americano; abordoado ao clássico bastão em que se apóia o passo tardo dos peregrinos...” (Euclides da Cunha: “Os Sertões”). / “Ainda que sem fé a princípio, e sem esperança alguma de resultado - e talvez por isso mesmo - entregou-se como outrora às práticas do mais austero ascetismo, e na solidão de sua cela deu-se à vida de penitência e contemplação com uma exaltação e fervor dignos dos antigos anacoretas dos desertos da Calcida, da Nitria e da Tebaida” (Bernardo Guimarães: “O Seminarista”). / “Mandou-lhe o mestre abrir a boca, na qual havia três dentes, um à frente, que me parecia uma sentinela da saúde, para não deixar ninguém chegar ali sem primeiro fazer quarentena com receio de peste. Outro num lado, que me parecia um anacoreta pelo solitário e amarelo; e outro do outro lado, que me pareceu destes bonecos da China, que em se lhe mexendo ficam a dar com a cabeça por algum espaço” (Antônio Manuel Policarpo da Silva: “O Piolho Viajante”).


---
É isso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário