16 de dez de 2012

O significado de “Belo Sexo”


A expressão belo sexo vem do francês beau sexe, utilizada para designar o sexo formoso, ou seja, o sexo feminino (as mulheres). No século XIX e nos primórdios do XX, quando a influência do francês era de grande realce no Brasil, tal expressão era de uso muito comum entre as pessoas, como se pode observar nesses exemplos extraídos da nossa literatura: de Machado de Assis, em suas “Notas Semanais”: “Emília Rosa é uma senhora, vinda da Europa, com a nota secreta de que trazia um contrabando de notas falsas. Rien n'est sacré pour un sapeur; nem as malas do belo sexo, nem as algibeiras, nem as ligas”; de Raul Pompéia, em “Uma Tragédia no Amazonas”: “Como o astrônomo deixa escapar um riso de mofa, ao ler uma poesia à lua de algum enlevado cantor, o conhecedor profundo desse bando, denominado pelos homens das nuvens, "belo sexo", e mais prosaicamente mulher, não pode reter o escárnio, contemplando um hino em que um amante em delírio exalta os grandes dotes da sua bela”; de Joaquim de Macedo, em “As Mulheres de Mantilha”: “O vice-reinado do velho conde de Azambuja durou apenas dois anos incompletos, sucedendo-lhe o marquês de Lavradio que era muito sensível aos encantos do belo sexo, e ardentemente se apaixonou por Maria...”; de Bernardo Guimarães, em “A Escrava Isaura”: “Todavia não é menos certo que do belo sexo, sem distinção de classes, ao menos a metade é ludibrio dessas invejas, ciúmes e rivalidades mesquinhas”; de José de Alencar, em “O Gaúcho”: “Sensível a essa fineza do belo sexo, o veterano alisava o bigode grisalho, pagando com um sorriso os olhares coados pelas rótulas”; de Lima Barreto, em “Diário Íntimo”: “O militar evitou a questão e, pela sobremesa, em seguida ao bacharel Alfredo, que brindara ao dono da casa, saudou o belo sexo — a providência moral do homem na frase do grande filósofo Augusto Comte.”


---
É isso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário