10 de fev de 2012

Nomes das Divindades Pagãs na Bíblia


ADRAMELEQUE (do hebraico: esplendor do rei ou rei magnífico) – era uma divindade assíria, que, segundo estudiosos, assemelhava-se a uma mula (2 Rs. 17:31).

ANAMELEQUE (do hebraico: rei das nuvens ou rei das alturas) - divindade assíria que tinha a semelhança de uma lebre (2 Rs. 17:31).

ÁRTEMIS - deusa grega das caçadas, a qual era venerada em Éfeso (At. 19:28, 34).

ASERA - divindade fenício-cananéia, tida como mulher de Baal, o pai dos deuses, e que era considerada a deusa da fecundidade e da fertilidade (1 Rs. 15:13; 14:23; 18:19; 1 Cr.15:16).

ASTAROTE - deusa semítica, venerada principalmente na Síria e Palestina, correspondente à Astarte (Jz. 2:13; 3:7; 10:6; 1 Sm. 31:10; 1 Rs. 11:5, 33; 2 Rs. 23:13).

BAAL – seu nome significa, ao pé da letra, senhor, dono. Entre os canaanitaa era a divindade da fertilidade e da tempestade (Nm. 22:41; Jz. 8:33; 1 Rs. 16:32; 19:18; 2 Rs. 10:18,28; 2 Cr. 24:7; Jr. 2:8).

BEL (equivale a BAAL: senhor) – era uma divindade babilônica (Is.46:1).

BELZEBU – no Antigo Testamento refere-se a deus dos edomitas, muito reverenciado pelos filisteus (2 Rs. 1:2; 3:16); no Novo Testamento diz respeito ao príncipe dos demônios (Mt. 12:24-27).

DAGOM – seu nome quer dizer: trigo, cereal; há quem traduza por: pescado, peixe. Trata-se do ídolo nacional dos filisteus, considerado o deus da fertilidade (Jz. 16:23-30; 1 Sm. 5:2; I Cr. 10:10).

DIANA – seu nome do grego significa a brilhante ou a divina. Na mitologia romana era considerada a divindade da caça, da fertilidade e do parto (Ver. At. 19:19, 28, 35).

JÚPITER – era considerado pelos romanos como o pai dos deuses, o maior entre todos eles todos (Iuppiter Optimus Maximus). Segundo a mitologia era a divindade que presidia os fenômenos atmosféricos (ver At. 14:12; 19:35).

MALCÃ - nome de uma das divindades amonitas (ver Sf. 1:5).

MERCÚRIO – na mitologia era romana era o deus do comércio e dos mercadores, e cuja função era a mesma do deus grego Hermes (ver At. 14:12).

MELCOM – o deus principal dos aminitas; seu nome é traduzido por: rei por excelência (ver 1 Rs. 11:7).

MILCOM (o rei deles) - nome de uma divindade amonita (1 Rs. 11:5,33; 2 Rs. 23:13); também chamado Malcã (Sf. 1:5) e Moloque (Am. 5:26).

MOLOQUE - é o nome de uma divindade cananéia, a quem eram realizados sacrifícios de crianças: “E edificaram os altos de Baal, que estão no Vale do Filho de Hinom, para fazerem passar seus filhos e suas filhas pelo fogo a Moloque” (Jr. 32:25a). Moloque é a transcrição grega do hebraico “Molek”, que significa um rei ou vosso rei. Há quem diga que tal nome origina-se de uma raiz púnica “mlk”, que quer dizer sacrifício, oferenda.

NERGAL – seu nome é traduzido por: grande herói ou senhor da grande cidade. Era uma divindade babilônica e assíria (ver 2 Rs. 17:30).

NIBA (lavrador) - divindade assíria semelhante a um cão , e que foi conduzida à Samaria pelos aveus (2 Rs. 17:31).

NISROQUE - possivelmente a grande águia. Era uma divindade assíria (2 Rs. 19:37).

RIMOM (romã) – Outra divindade assíria (2 Rs. 5:18).

SOL - o culto ao Sol era um costume deveras comum entre os povos antigos (foi o primeiro objeto de idolatria do homem). Sob diferentes nomes, o Sol era considerado uma poderosa divindade. Entre os caldeus era chamado de “Bel ou Bal”; os sírios o chamavam “Elagabal”; os amonitas davam-lhe o nome de “Moloque”; os boabitas o denominavam “Beelfegor”; os persas de “Mitra”; os egípcios de “Osíris”; os fenícios de “Adônis”; os cartagineses de “Saturno”; os grego “Hélios ou Febo”; o romanos, por sua vez, o reverenciavam como o “Sol Invictus”. Os povos americanos, por exemplo, os incas e os astecas, o tinha como a divindade maior. Na Bíblia encontramos algumas citações a respeito deste tipo de idolatria:E, tendo derrubado os altares, e os bosques, e as imagens de escultura, até reduzi-los a pó, e tendo despedaçado todas as imagens do sol em toda a terra de Israel, então voltou para Jerusalém” (2 Cr. 34:7). / E serão assolados os vossos altares, e quebradas as vossas imagens do sol e derrubarei os vossos mortos, diante dos vossos ídolos”. / E levou-me para o átrio interior da casa do Senhor, e eis que estavam à entrada do templo do Senhor, entre o pórtico e o altar, cerca de vinte e cinco homens, de costas para o templo do Senhor, e com os rostos para o oriente; e eles, virados para o oriente adoravam o sol” (Ez. 6:4; 8:16).

TAMUZ
– seu nome significa germinação ou desvanecimento. Trata-se de uma antiga divindade sumério-babilônica (ver Ez. 8:14).

---
É isso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário