5 de nov de 2012

De onde vem “Crioulo”


A palavra crioulo vem de criar com acréscimo do sufixo oulo. Dizia-se, à época da escravidão, do negro nascido na América, por oposição ao originário da África. Na Europa designava o branco nascido nas colônias. Em seu “Cem anos de solidão”, Gabriel Garcia Márquez nos brinda com um exemplo: “A essa rara intromissão num ofício de homens se atribuiu o ter ela perdido o juízo, e de tão triste modo que deu trabalho ensiná-la a não comer suas próprias misérias. Afora isso, teria sido excelente partido para um marquês crioulo de tão parcas luzes.”  Diferentemente do Brasil, onde é sinônimo do negro nascido no país, no restante do continente americano, crioulo ou criollo ou créole designa o branco europeu nascido na colônia. O termo  traz em si uma conotação racista, utilizado muitas vezes para subestimar o negro (ou colono) em muitos aspectos. Um exemplo disso encontrei em “Quincas Borbas”, de Machado de Assis: “— Sempre fui feliz sem francês, respondia a velha; e os meia-línguas da roça são a mesma coisa: não vivem pior que os crioulos.”  E em “A Moreninha”, de Joaquim de Macedo: “Ah! maldito crioulo… estava-lhe o todo dizendo o para que servia!... Pinta na tua imaginação, Augusto, um crioulo de dezesseis anos, todo vestido de branco com uma cara mais negra e mais lustrosa do que um botim envernizado, tendo, além disso, dois olhos belos, grandes, vivíssimos e cuja esclerótica era branca como o papel em que te escrevo, com lábios grossos e de nácar, ocultando duas ordens de finos e claros dentes, que fariam inveja a uma baiana; dá-lhe a ligeireza, a inquietação e rapidez de movimentos de um macaco e terás frito idéia desse diabo de azeviche, que se chama Tobias.”

---
É isso!

Um comentário:

  1. Não vi nada de rascista nesses termos, movia-se como um macaco, e dai? Antes disso ele muito elogiava o negro.. o termo macaco foi só uma comparção com seus movimentos.

    ResponderExcluir