3 de jun de 2010

Como era a Língua Portuguesa antigamente?


O primeiro documento literário escrito no idioma português surgiu a partir do século XII, quando havia o predomínio da língua falada. A cantiga, a seguir, é considerada o marco inicial da literatura portuguesa. Foi escrita por Paio Soares de Taveirós, provavelmente em 1198, em homenagem à ribeirinha Maria Ribeiro. Note-se que muitos termos e construções sofreram profundas transformações ou nem existem no português moderno:
No mundo non me sei parelha,
mentre me for como me vai,ca já moiro por vós - e ai!mia senhor branca e vermelha,queredes que vos retraiaquando vos eu vi en saia!Mau dia me levantei,que vos enton non vi fea!
E, mia senhor, dês aquel dia’ai!
me foi a mi mui mal,e vós, filha de don PaaiMoniz, e ben vos semelhad’haver eu por vós guarvaia,pois eu, mia senhor, d’alfaianunca de vós houve nen heivalia d’ua correa.

A partir do século XVI, com as obras de Luís Vaz de Camões, especificamente "Os Lusíadas", de 1572, a Língua Portuguesa se uniformiza e adquire as características atuais.
O soneto seguinte, desse mesmo autor, remonta a uma passagem bíblica que narra a história de Jacó e de seu amor pela filha de Labão, Raquel. Observe:
Sete anos de pastor Jacob servia

Labão, pai de Raquel, serrana bela;
Mas não servia ao pai, servia a ela,
E a ela só por prêmio pretendia.
Os dias, na esperança de um só dia,

Passava, contentando-se com vê-la;
Porém o pai, usando de cautela,
Em lugar de Raquel lhe dava Lia.
Vendo o triste pastor que com enganos

Lhe fora assim negada a sua pastora,
Como se a não tivera merecida,
Começa de servir outros sete anos,

Dizendo: - Mais servira, se não fora
Para tão longo amor tão curta a vida!
Todas as línguas passam por um processo de evolução contínua. Ninguém pode garantir que o português falado hoje será exatamente o mesmo daqui a cem anos!
Como exemplo, observe, a seguir, um trecho do capítulo primeiro do livro de Gêneses, escrito em três diferentes períodos. O primeiro texto, datado do século XIV, foi extraído de um manuscrito pertencente ao Mosteiro de Alcobaça. O segundo, refere-se a uma tradução da Bíblia para o português, do final do século XIX. No terceiro, encontramos a língua usada nos dias atuais.


TEXTO I - SÉCULO XIV
Eno começo criou Deus o ceeo, e a terra, convem a saber, o ceeo empireo, e os angos, e a materia de todolos corpos, e os quatro elementos, convem a saber, o fogo, e o aar, e a augua, e a terra, e este mundo, que parece, que he feito deles.Mas a terra era vãa e vazia, quer dizer, que a feitura do mundo era sem proveito, e sem fruito, e desapostada.E as treevas eram sobre a face do avisso, que hé a terra, e a feitura do mundo, que era profunda, e escura, e confunduda.E o Spirito do Senhor andava sobre as auguas, quer dizer, que a voontade de Deus andava sobela materia do mundo, assi como a voontade do meestre, que tem ante si a materia, de que quer fazer a casa.E disse Deus, seja feita a luz, e logo foi feita a luz, e vio Deus a luz que era boa, e departiu a luz, e as treevas, e pos nome aa luz dia, e aas treevas noite, e foi feito vespera e manhãa huu dia
(
Megale, Heitor. O Pentateuco da Bíblia Medieval Portuguesa. EDUC e Imago Editora. São Paulo, 1992).


TEXTO II - SÉCULO XIX
No principio creou Deus os céus e a terra.E a terra era sem fórma e vasia; e havia trevas sobre a face do abysmo: e o Espirito de Deus se movia sobre a face das aguas.E disse Deus: Haja luz: e houve luz.E viu Deus que era boa a luz: e fez Deus separação entre as luz e as trevas.E Deus chamou á luz Dia; e ás trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro
(
A BIBLIA SAGRADA. Edição de 1898. Depósito de Literatura Sagrada. Lisboa, 1892).


TEXTO III - ATUALMENTE
No princípio criou Deus os céus e a terra.E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.E disse Deus: Haja luz. E houve luz.E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas.E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde o a manhã o dia primeiro
(
A BÍBLIA SAGRADA. Sociedade Bíblica do Brasil, edição corrigida. São Paulo, 1992).


Você deve ter notado que as modificações não foram apenas de ordem morfológica; também ocorreram mudanças fonéticas e sintáticas. Tais fatos são provas incontestáveis de que a língua jamais pára no tempo.

---

É isso!

7 comentários:

  1. Oi.Esse post está maravilhoso,eu amo português e literatura,fico horas lendo a gramática,ela me encanta.

    Abraços,Lúcia

    08/10/010

    ResponderExcluir
  2. massa isso mim ajudou muito no mue trabalho
    e eu terei 10
    quem quizer meu msn pode pegar ok

    ResponderExcluir
  3. "massa" será é um termo novo no dicionário dos sem escola!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não julgue, é a língua portuguesa moderna kkkk

      Excluir
  4. Que postagem boa de ler. Parabéns.
    Às vezes a língua varia numa mesma época, dependendo de quem a fala. hehehe

    ResponderExcluir