5 de abr de 2010

“Bater as otas” e “Esticar a canela"


É muito comum as pessoas valerem-se de palavras ou expressões suaves em substituição a outras consideradas grosseiras ou desagradáveis. É o que na gramática se conhece por eufemismo. Um exemplo, diz respeito ao verbo morrer, substituído com freqüência por outros menos chocantes. Por exemplo: espichar, expirar, descansar, desencarnar, falecer, fenecer, finar-se, partir etc. Há, na linguagem popular, uma infinidade de expressões eufêmicas, empregadas corriqueiramente no lugar deste verbo. Eis uma lista: ajuntar os pés, apitar, arrevessar a alma, atar as cordas, bater as botas, bater o trinta-e-um, bater a canastra, bater a caçoleta, bater o patau, bater o prego, esticar o pernil, esticar a canela, dar o berro, dar o corpo à terra fria, dar o último peido, dar o bafo, dar o estica, dar o pio, dar o último sono, dar o último suspiro, deixar as botas, deixar as calças, deixar de existir, deixar este mundo, desaparecer do mundo dos vivos, descansar em paz, descansar no seio de Deus, desocupar o beco, desviver, dizer adeus ao mundo, dormir o sono dos justos, dormir o sono eterno, embarcar, entregar a alma a Deus, esfriar o céu-da-boca, espichar a canela, esticar o pernil, fechar os olhos, ir para a cidade dos pés juntos, ir para casa, ir para o outro mundo, ir fazer tijolo, ir para um bom lugar, ir para o céu, ir para os anjinhos, ir pro saco, ir para o andar de cima, ir gozar a vida eterna, ir para a glória, ir para o seio de Abraão, partir para o Senhor, largar a casca, juntar os pés, juntar as canelas, marchar, passatempo, passar desta para melhor, perder a vida, puxar a trouxa, render o espírito, tirar passaporte para o outro mundo, última viagem etc.

---
É isso!

Um comentário: