6 de abr de 2010

A origem de “Deus"


Etimologicamente, o termo Deus designa um princípio supremo, que as religiões consideram como superior à natureza. Assim, na acepção meramente lingüística, tal vocábulo pode ser aplicado tanto ao Deus cristão como a simples homens e até às divindades ilusórias dos povos. Em outras palavras, trata-se de um título, e não de um nome propriamente. O que especifica a grafia do Deus judaico-cristão, é a letra inicial maiúscula (Deus e não deus). Estudiosos afirmam que a palavra latina deus origina-se da raiz lingüística div, deivo, que remete à idéia de um deus do céu, um deus de luz. Trata-se da mesma raiz das palavras: zeus (do grego), deva (do sânscrito), daeva (do iraniano), deiwas (do prussiano), diewas (do lituano), tivar (do germânico antigo). Na verdade, todas as palavras das línguas ocidentais, usadas em referência ao Criador, ao Deus de Israel, foram - originalmente - empregadas pelos primitivos povos indo-europeus em referência aos seus deuses. O termo grego théos (deus), por exemplo, indicava, na Grécia antiga, apenas os deuses gregos do Olimpo; e, a palavra inglesa God (Deus) designava – primitivamente - um ídolo da guerra. No Antigo Testamento, a palavra usada – genericamente - em referência a Deus (o Deus de Israel), é Elohim: “No princípio criou Deus (Elohim) os céus e a terra” (Gn. 1:1), que também denota os deuses de outras nações. Por exemplo: os elohim do Egito (Ex. 12:12), os elohim dos amorreus (Js. 24:15; Jz. 6:10), os elohim da Síria, de Sidom, de Moabe, dos filhos de Amom, dos filisteus (Jz. 10:6) etc.

---
É isso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário